domingo, 9 de abril de 2017

O QUE VOCÊ PRECISA TER PARA MORAR SOZINHO?

oque-preciso-ter-morar-sozinho
Quando você decide sair de casa, não tem nem ideia de quantas coisas uma casa precisa para ser uma casa. Quando eu decidi sair de casa, eu não tinha nem ideia de que eu ia precisar de tantas coisas, e demorei uns 2 anos para deixar a minha casa totalmente montada.
Com base nessa experiência, fiz uma lista de prioridades e necessidades que você precisa ter para chamar sua nova moradia de casa.
CAMA
Não dá para sair de casa sem ter onde dormir. Então a cama é prioridade 1 na nossa lista. No começo, eu comprei minha cama e eles nunca entregavam, daí tive que apelar para o colchão inflável que é super baratinho e quebra um galho. Mas, dormir nele não é como dormir na sua cama, e, depois de um tempo suas costas vão reclamar muito.
BUDGET: Se o orçamento estiver totalmente curto, você pode arrumar um estrado (tipo uma base de madeira para levantar o colchão do chão e não deixar o frio passar) e um colchão.
Mas o que eu realmente recomendo é investir num bom colchão box. Tem muitas opções no mercado, e eu recomendo que você escolha uma que não seja nem muito dura nem muito macia.
cama-casal-pratica
Outra dica muito legal é investir num desses modelos articulados, tipo esse aqui. Sua cama vira um porta trecos gigante e você pode guardar toda a roupa de cama, toalhas, malas, qualquer coisa ali dentro.
GELADEIRA
Esse item é prioridade 1 na sua lista também. Você até pode viver sem um fogão, mas sem geladeira é difícil demais. Imagine não ter água gelada, não poder ter requeijão ou manteiga, ou um milhão de coisas que estragam fora da geladeira.
Você vai ver que muita coisa da sua alimentação controladíssima no orçamento baixo não precisa passar pelo fogão, mas a maioria das coisas precisa da geladeira.
BUDGET: não invista em uma mini geladeira ou frigobar. Não vale a pena e você vai acabar tendo que trocar dentro de pouco tempo, daí é dinheiro jogado fora. Procure promoções e geladeiras bem baratinhas, algumas você consegue até por R$600, e se você procurar um combo tipo fogão + geladeira vai ver que realmente compensa.
geladeira-ideal-budget
Agora, se você pode investir um pouco mais em uma geladeira, a dica é comprar uma frost-free, com as portas do congelador e geladeira separadas, essas geladeiras com uma porta em cima e outra embaixo. Porque quando a porta do congelador é dentro da porta da geladeira, você vai ficar abrindo e o congelador acaba não gelando direito. Essa daqui é uma ótima opção, foi a que eu escolhi!
FOGÃO
Esse é um item de prioridade 2: você vai precisar mas consegue se virar um tempo sem. Ele vai fazer tudo e te deixar economizar muitos dinheiros comendo em casa coisas que você mesmo preparou.
Não compensa ficar adiando a compra do fogão, mesmo porque ele é um dos eletrodomésticos mais baratos, tem uns por R$250. Mas na hora de economizar e achar um modelo baratíssimo, cheque se o fogão tem luz no forno. Isso faz toda a diferença e você vai sentir falta eventualmente.
IMPORTANTE: Se você for morar em apartamento, e comprar um fogão comum, provavelmente ele não vai vir adaptado para gás encanado. Daí você vai precisar contratar alguém para fazer a modificação para você, custa em torno de uns R$150.
SOFÁ
O sofá é bem importante, porque se você quer receber pessoas na sua casa, elas precisam ter onde sentar. Se você não pode investir num sofá agora, eu sugiro que você compre uns puffs mesmo, porque eles ficam bonitinhos e modernos, além de serem super funcionais em caso de receber visitas.
sofa-cama
BUDGET:  se você pretende receber muita gente na sua casa, ou ainda não comprou a cama, você pode investir num sofá cama. Esse modelo é bem legal e parece confortável, além de ter um espacinho para guardar coisas, pode ser até a coberta e travesseiro da visita! 
Acho que esses são os itens de maior necessidade que eu precisei comprar logo. E você, tem alguma dica do que comprar para quem quer morar sozinho?

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Blue Whale: o jogo do suicídio que está se tornando um viral

Em outubro de 2016, o adolescente Gustavo Detter, de 13 anos, morreu após ser desafiado durante uma partida online de League of Legends. Gustavo foi vítima do que podemos chamar de jogos mortais da internet. Mortes por asfixia e afogamento dos praticantes dos famosos challenges são mais comuns do que deveriam. É assustador. E não para.
Blue Whale: o jogo russo do suicídio que está se tornando um viral
(Reprodução/Reprodução)
Na Rússia, uma onda de suicídios de jovens vem chamando a atenção. Motivados por um jogo intitulado Blue Whale, pessoas estão colocando um fim em suas vidas após seguirem uma série de instruções que as deixam mais suscetíveis a isso. Se você não está entendendo nada e nunca tinha ouvido falar no Blue Whale game, explicamos. O jogo é uma espécie de viral que vem se espalhando na internet – e chegando aos pouquinhos no Brasil apenas agora. O curador, que é a pessoa por trás da tela que comanda o desafio, convida o jovem a jogar. Se este aceitar, começa a receber pequenas missões todas as madrugadas. Elas chegam às 4h20, que, segundo especialistas, é o horário em que mais pessoas cometem suicídio. O jogo dura 50 dias e, depois de seguir todas as instruções e publicar nas redes sociais uma espécie de prova de que completou os desafios, vem a missão final: se matar.
As provas podem ser enviadas diretamente para o curador ou postadas na web em forma de mensagens subliminares. Foi o que fez a russa Yulia Konstantinova, de 15 anos, que postou pistas de que estava participando do Blue Whale. As pessoas, infelizmente, só se deram conta do perigo das mensagens após o suicídio da jovem.
Blue Whale: o jogo russo do suicídio que está se tornando um viral
Antes de se jogar de um prédio e vir a óbito, Yulia postou a foto de uma baleia azul no Instagram e escreveu a palavra “fim” na descrição do Facebook. (Reprodução/Reprodução)
Muitas pessoas já estão comparando o viral ao filme Nerve: Um Jogo Sem Regras, protagonizado por Emma Roberts e Dave Franco. O longa conta a história de Vee e Ian, que participam de um jogo online em que você tem duas opções: observar (ser o curador) ou jogar (ser a vítima). A única diferença é que, no trama ficcional, conforme você vai completando os desafios, vai ganhando dinheiro. Na vida real, ao completar o Blue Whale, você pode ganhar uma passagem direto para o além.
Psicólogos afirmam que o viral é, muitas vezes, um caminho sem volta, pois atinge jovens que só estão precisando de um estopim para colocarem fim à própria vida, por estarem passando por problemas pessoais gravíssimos. O nome, “Baleia Azul”, é inspirado nessa espécie de animal, o maior que já existiu, que, devido a matança em massa, hoje se encontra em perigo de extinção.
Até o momento em que esta matéria foi publicada, autoridades russas estimavam que cerca de 130 suicídios já haviam acontecido no país em decorrência do jogo. Na Alemanha e na região da Ásia Central, jovens estão sendo alertados sobre os perigos de aceitar jogar o viral. As primeiras missões parecem inofensivas, como acordar em horários específicos durante a noite, assistir a filmes de terror e ouvir sem parar uma música que te deixa triste. Contudo, elas já vão mexendo com o psicológico do jogador, que fica abalado e, consequentemente, pronto para realizar missões mais intensas, como praticar automutilação, se pendurar em lugares altos e até mesmo se matar.
Blue Whale: o jogo russo do suicídio que está se tornando um viral
O jovem Philip Budeikin, que fazia parte de grupos online que estimulam o suicídio de adolescentes. (Reprodução/Reprodução)
Mas esse jovens não podem desistir e sair do jogo? De acordo com as autoridades russas, os curadores devem ser pessoas mais velhas, pois usam de uma persuasão muito grande para convencer os adolescentes de que não há saída e envolvê-los na trama. Em 2016, o russo Philip Budeikin, de 21 anos, foi detido pela polícia por ter seu nome envolvido em grupos que promovem o suicídio online. “Nós temos certeza de que são adultos aliciando crianças”, afirmou um representante do FSB Secret Service ao jornal Novaya Gazeta.
Nem todos conseguem completar a última prova. Um garoto russo que estava prestes a se jogar de um prédio foi resgatado a tempo. Depois disso, ou ele se vê livre do jogo ou o curador o faz sentir-se culpado por não ter tido a capacidade de terminá-lo. E aí o Blue Whale nunca tem fim…
Blue Whale: o jogo russo do suicídio que está se tornando um viral
(Reprodução/Reprodução)
Ainda não há provas oficiais de que essas mortes na Rússia estejam ligadas ao jogo, apesar das evidências, contudo é impossível negar que grupos e jogos online que estimulam a prática do suicídio existem. Há inclusive projetos experimentais que dizem terem criado o desafio da baleia, mas, de acordo com eles, o intuito não era que as missões evoluíssem para casos extremos, como a morte. A polícia, porém, pede cuidado! Talvez até mesmo essas desculpas sejam uma forma de manipulação.
Se você perceber que algum conhecido está postando mensagens estranhas na rede social, como se fossem pedidos de ajuda, não ignore. Você pode fazer a diferença. E você é mais forte que qualquer jogo. Busque ajuda e lembre-se de que depressão é, sim, uma doença. E muito séria.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Dizem que só amamos de verdade 3 vezes na vida. Será?

Texto original escrito por Kate Rose em elephantjournal.com
Alguém disse que nós realmente nos apaixonamos por apenas três pessoas durante a vida toda.
E ainda existe a crença de que precisamos de cada um destes amores por uma razão diferente.
Frequentemente, o primeiro amor acontece quando somos jovens, ali pela época do ensino médio.
É o amor idealizado – aquele que parece com os contos de fadas de nossa infância.
Este é o amor que apela para o que deveríamos fazer de acordo com as exigências da sociedade – e provavelmente de nossas famílias.
Entramos nele com a crença de que este será nosso único amor e não importa se não parece ser exatamente certo, ou se nós pegamos tendo que engolir nossas verdades pessoais para fazer esse amor funcionar, porque lá no fundo acreditamos que é assim que o amor deve ser.
Neste tipo de amor, a opinião dos outros é mais importante do que o modo como realmente nos sentimos.

É um amor que parece ser o certo.
O segundo amor é provavelmente o amor difícil – aquele que nos ensina lições sobre quem somos e como precisamos ou queremos frequentemente ser amados.
Este é o amor que fere, seja através das mentiras, da dor ou da manipulação.
Pensamos que estamos fazendo escolhas diferentes da primeira vez, mas na verdade estamos fazendo ainda escolhas baseadas na necessidade de aprender lições – mas nós não nos desapegamos.
Nosso segundo amor pode se tornar um ciclo, frequentemente um amor que repetimos porque pensamos que de alguma maneira, irá acabar de maneira diferente da de antes.
Ainda assim, a cada vez que tentamos, de algum modo acaba ainda pior que da vez anterior.
Algumas vezes não é saudável, não é equilibrado ou é até mesmo narcisista.
Pode haver abuso ou manipulação emocional, mental e até mesmo física – muito provavelmente sob altos níveis de drama.
É exatamente por isso que nos mantemos viciados nesta trama, por causa da montanha-russa emocional, com extremos altos e baixos e, como um viciado tentando conseguir a próxima dose, suportamos os baixos na expectativa de voltar aos altos.
Com este tipo de amor, tentar fazer com que funcione se torna mais importante do que deveria ser, de fato.
É o amor que desejamos que desse certo.
O terceiro amor é o que não vimos chegar.
Aquele que geralmente parece errado para nós e que destrói qualquer ideal que ainda mantenhamos sobre como achamos que o amor devia ser.
Este é o amor que acontece tão facilmente que nem parece que é possível.
É o tipo de amor em que a conexão não se explica e que nos deixa no chão porque nunca o planejamos.

Este é um amor onde ficamos com uma pessoa e tudo simplesmente se encaixa – não há idealizações, nem expectativas de como cada pessoa deveria agir nem há pressão para nos tornarmos quem não somos.
Somos simplesmente aceitos por sermos quem já somos – e isso nos afeta profundamente.
Não é o amor que imaginávamos, nem segue as regras que esperamos seguir para ficar na zona de conforto.
Mas ainda assim, despedaça nossas noções preconcebidas e nos mostra que o amor não precisa ser como imaginamos para ser verdadeiro.
Este é o amor que continua batendo na porta, não importa quanto tempo levemos para responder.
É o amor que simplesmente parece certo.
Talvez não experimentemos todos estes tipos de amor nesta vida, mas talvez seja porque não estejamos prontos.
Talvez precisamos aprender de verdade o que o amor não é, antes de podermos nos agarrar ao que ele realmente é.
Possivelmente precisemos levar uma vida inteira para aprender cada lição ou, se tivermos sorte, leve só alguns anos.
Talvez não tenha a ver com estarmos prontos para o amor, mas se o amor está pronto para nós.
E então pode haver aquelas pessoas que se apaixonam apenas uma vez e ainda estejam apaixonados até darem o último suspiro.
Aquelas fotos amareladas e gastas de nossos avós que parecem tão apaixonados andando de mãos dadas aos 80 anos quanto no momento em que saíram na foto do casamento – o tipo que nos faz perguntar se realmente conhecemos o amor.
Alguém me disse que estes são os sortudos, e talvez sejam.
Mas eu penso que aqueles que chegaram ao seu terceiro amor é que são os sortudos de fato.
São aqueles que se cansaram de ter de tentar e cujos corações partidos seguem batendo, fazendo-os se perguntar se há algo inerentemente errado com a maneira como amam.
Mas não há; é só questão de saber se seus parceiros amam da mesma maneira que eles ou não.
Só porque nunca funcionou antes não significa que não vá funcionar agora.
O que realmente tem a ver com isso é se somos limitados pela maneira que amamos, ou se ao invés disso, amamos sem limites.
Todos podemos escolher ficar com nosso primeiro amor, aquele que parece bom e vai fazer todo mundo feliz.
Ou podemos escolher ficar com nosso segundo amor sob a crença de que se não tivermos de lutar por ele, então não vale a pena ter
Ou podemos escolher acreditar no terceiro amor.
Aquele que nos faz sentir em casa sem nenhuma racionalidade, o amor que não é como uma tempestade, mas antes é a paz serena da noite seguinte.
E talvez haja algo de especial com nosso primeiro amor, e algo único e de partir o coração com o segundo… mas há algo simplesmente incrível sobre o terceiro.
“Aquele que não vimos chegar. ”
“Aquele que realmente dura. ”
“Aquele que nos mostra porque nunca funcionou antes. ”
E é essa possibilidade que faz o ato de tentar novamente valer a pena, porque a verdade é que você nunca sabe quando irá trombar com o amor.
SÓ NÃO TENHA MEDO DE AMAR
Se você gostou do texto, compartilhe com os seus amigos.

Pastor Lambe Bunda das Crentes, para elas conseguirem Casar

O mundo da religião está cada vez mais distante de ser um mundo onde a palavra de Deus é verdadeiramente seguida tal como encontramos nas escrituras, em parte que hoje vem acontecendo mostra que algumas igrejas estão mais interessadas em atos carnais e não espirituais.

Essa imagem mostra um pastor na Angola, que convidou todas as crentes solteiras à praia para ajuda – las a ter marido, mas para isso todas elas tinham que ficar nuas deixadas na areia e com os rabos inclinados para cima. Todas elas fizeram o que o pastor pediu, e o pastor começou a lambe-las o bumbum um por um até terminar o trabalho que tem como objetivo ajudar as crentes solteiras a conseguiram marido, tudo aconteceu nesse último domingo (18).

Segundo o site, essa foto é para chamar a atenção de todos aqueles que dizem ser crentes, para que não sejam tão burros em crer que um milagre de lambe bumbuns, vai te dar marido ou te dar a salvação, toma muito cuidado no que fazes quando vai a igreja, e defina sempre bem o que você procura na igreja, não siga o vento, que ele pode te levar ao inferno ou até a praia.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Saiba como jovens entre 15 e 29 anos podem
Viajar de graça pelo Brasil
(Crédito: Reprodução)
A lei garante que em cada viagem interestadual de ônibus, duas vagas gratuitas são reservadas para jovens entre 15 e 29 anos, e se esgotadas, outras duas vagas são oferecidas com 50% de desconto. Mas nem todo mundo sabe disso.
Para garantir o direito, basta o jovem apresentar a Identidade Jovem, documento virtual emitido pela internet, dentro do prazo de validade, junto a um documento oficial de identificação com foto.
Assista ao vídeo de divulgação do programa.


Previsto no Estatuto da Juventude, o direito foi regulamentado pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e é necessário possuir o ID Jovem, para usar a identidade não é preciso imprimi-la. Basta apresentar a imagem do cartão na tela do celular no momento da aquisição do bilhete ou ingresso, acompanhada de documentação oficial com foto.
Para ter direito o jovem precisa ter renda de até dois salários-mínimos e ser inscrito no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal), a ID Jovem pode ser solicitada pela internet ou por aplicativo de celular (Veja aqui).
Segundo o governo federal, mais de 18 milhões de jovens devem ser contemplados com esse benefício e com a garantia da meia entrada em eventos culturais e esportivos assegurada também com a Identidade Jovem. O funcionamento da meia-entrada artística-cultural e esportiva é semelhante ao já conhecido da Carteira de Identificação Estudantil.
Para usar o benefício, basta apresentar a ID Jovem no momento da aquisição do ingresso e na portaria ou na entrada do local de realização do evento, acompanhada sempre de documento oficial com foto.
Se o direito não for garantido, o usuário pode procurar pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), que tem postos de atendimento em muitas rodoviárias. O benefício integra o Direito à Cultura e o Direito ao Território e à Mobilidade, do Estatuto da Juventude (Lei nº 12.852/2013).
Fonte: Mundo Conectado

sábado, 26 de novembro de 2016

Nostalgia! A 10 anos atrás eram essas músicas que bombavam!

Ahhhh! O tempo…
O ano de 2005 foi bombante para o mundo da música, ano em que a indústria ainda era democrática. Iremos mostrar hoje quais as músicas que eram hits, quais foram os grandes retornos e quais a bandas novas que viriam a fazer barulho no futuro:
Dá o Play:
Kelly Clarkson havia lançado o cd de maior sucesso de sua carreira “Breakaway” em 2004, mas foi com Because of you que a então vencedora do American Idol explodiu para o mundo.
Gwen Stefani foi outra cantora que lançou álbum em 2004, Hollaback Girl é o single de maior destaque do cd de estreia da vocalista do No Doubt.
Quem não lembra do My Chemical Romance com sua grande estréia… “Helena” fez muito sucesso no Brasil no final de 2005.
Sim, Suddenly i see é de 2005 e você deve cantarolar até hoje.
Grandes Retornos:
Tivemos o aclamado “Confessions of the dancefloor” da Madonna que iniciou os trabalhos com esse hit abaixo:
Também teve, Shakira com “La Tortura” e Mariah Carey com “It’s Like That” e “We Belong Together”. Em qualquer rádio que você colocasse, lá estava elas.
Tivemos Backstreet Boys com “Incomplete”
E Alanis Morissette com o Cover melhor que o original 
Stereophonics lançou um dos seus maiores sucessos.
Bandas de Rock:
O Rock estava em alta naquele ano no meio mainstream segue abaixo as bandas e suas músicas que mais fizeram sucesso naquele ano:
System Of A Down – BYOB
Slipknot – Before i forget
Foo Fighters – Best of You
Coldplay – Fix You
Nine Inch Nails – The Hand That Feeds
Weezer – Beverly Hills
Audioslave – Be Yourself
Green Day – Boulevard of Broken Dreams
Queens of The Stone Age – Little Sister
The White Stripes – Blue Orchid
A Perfect Circle – Passive
E aí? O que acharam da 1ª parte da nossa compilação, semana que vem mostramos mais do que bombou em 2005.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

4 LINDAS HISTÓRIAS DE AMOR

Você gosta de uma boa história de amor? Então vai ficar impressionado com estes 4 textos que emocionam a internet até hoje! Veja:

1. DEFINIÇÃO DE AMOR

Um senhor de bastante idade chegou a um consultório médico, pra fazer um curativo em sua mão, na qual havia um profundo corte.
E muito apressado pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso.
O médico que o atendia, curioso, perguntou o que tinha de tão urgente pra fazer.
O simpático velhinho lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa que estava em tratamento numa clínica, com mal de Alzheimer em fase muito avançada.
O médico, preocupado com o atraso do atendimento, disse:
– Então hoje ela ficará muito preocupada com sua demora?
O velhinho respondeu:
– Não, ela já não sabe quem eu sou. Há quase cinco anos que não me reconhece mais.
O médico então questionou:
– Mas então para que tanta pressa em vê-la todas as manhãs, se ela já não o reconhece mais?
O velhinho então deu um sorriso e, batendo de leve no ombro do médico, respondeu:
– Ela não sabe quem eu sou… Mas eu sei muito bem quem ela é!
O médico teve que segurar suas lágrimas enquanto pensava.
O verdadeiro AMOR não se resume ao físico, nem ao romântico…
O verdadeiro AMOR é a aceitação de tudo que o outro é…
De tudo que foi um dia… Do que será amanhã… e do que já não é mais!
Autor desconhecido

2. O AMOR E O VELHO BARQUEIRO

Chegando, afinal à margem do grande rio, o Amor avistou três barqueiros que se achavam indolentes, recostados nas pedras.
Dirigiu-se ao primeiro:
– Queres, meu bom amigo, levar-me para a outra margem do rio?
Respondeu o interpelado, com voz triste, cheio de angústia:
– Não posso, menino! É impossível para mim!
O Amor recorreu, então, ao segundo barqueiro, que se divertia em atirar pedrinhas no seio tumultuoso da correnteza.
– Não. Não posso – recusou secamente.
O terceiro e último barqueiro, que parecia o mais velho, não esperou que o Amor viesse pedir-lhe auxílio. Levantou-se, tranqüilo, e, estendendo-lhe, bondoso, a larga mão forte, disse-lhe:
– Vem comigo, menino! Levo-te sem demora para o outro lado.
Em meio a travessia, notando o amor a segurança com que o velho barqueiro barquejava, perguntou-lhe:
– Quem és tu? Quem são aqueles dois que se recusaram a atender ao meu pedido?
– Menino – respondeu, paciente, o bom remador
-o primeiro é o Sofrimento; o segundo é o Desprezo.
Bem sabes que o Sofrimento e o Desprezo não fazem passar o Amor!
– E tu, quem és, afinal?
– Eu sou o Tempo, meu filho – atalhou o velho barqueiro.
– Aprende para sempre a grande verdade.
Só o Tempo é que faz passar o Amor!
E continuou a remar, numa cadência certa, como se o movimento de seus braços possantes fosse regulado por um pêndulo invisível e eterno.
Sofrimento, desprezo…Que importa tudo isso ao coração Apaixonado?
O Tempo, e só o Tempo, é que faz passar o Amor.
Autor desconhecido

3. O QUE É O AMOR?

Em uma sala de aula, haviam várias crianças; quando uma delas perguntou a professora:
– Professora, o que é o AMOR?
A professora sentiu que a criança merecia uma resposta a altura da pergunta inteligente que fizera. Como já estava na hora do recreio, pediu para que cada aluno desse uma volta pelo pátio da escola e trouxesse o que mais despertasse nele o sentimento de amor. As crianças saíram apressadas e, ao voltarem, a professora disse:
– Quero que cada um mostre o que trouxe consigo.
A primeira criança disse:
– Eu trouxe esta FLOR, não é linda?
A segunda criança falou:
– Eu trouxe esta BORBOLETA – veja o colorido de suas asas, vou colocá-la em minha coleção.
A terceira criança completou:
– Eu trouxe este FILHOTE DE PASSARINHO – ele havia caído do ninho junto com outro irmão. Não é uma gracinha?
E assim as crianças foram se colocando.
Terminada a exposição, a professora notou que havia uma criança que tinha ficado quieta o tempo todo. Ela estava vermelha de vergonha, pois nada havia trazido.
A professora se dirigiu a ela e perguntou:
– Meu bem, por que você nada trouxe?
E a criança timidamente respondeu:
– Desculpe, professora. Vi a FLOR, e senti o seu perfume, pensei em arrancá-la, mas preferi deixá-la para que seu PERFUME exalasse por mais tempo. Vi também a BORBOLETA, leve, colorida… Ela parecia tão feliz, que não tive coragem de aprisioná-la.
Vi também o PASSARINHO, caído entre as folhas, mas, ao subir na árvore, notei o olhar triste de sua mãe, e preferi devolvê-lo ao ninho. Portanto, professora, trago comigo: o perfume da flor; a sensação de liberdade da borboleta e a gratidão que senti nos olhos da mãe do passarinho. Como posso mostrar o que trouxe?
A professora agradeceu a criança e lhe deu nota máxima, pois ela fora a única que percebera, que só podemos trazer o AMOR em nosso coração.
Eliane de Araujoh

4. A LOJA DE CD’S

Era uma vez um garoto que nasceu com uma doença que não tinha cura. Tinha 17 anos e podia morrer a qualquer momento. Sempre viveu na casa de seus pais, sob o cuidado constante de sua mãe.
Um dia decidiu sair sozinho e, com a permissão da mãe, caminhou pela sua quadra, olhando as vitrines e as pessoas que passavam. Ao passar por uma loja de discos, notou a presença de uma garota, mais ou menos da sua idade, que parecia ser feita de ternura e beleza.
Foi amor à primeira vista. Abriu a porta e entrou, sem olhar para mais nada que não a sua amada. Aproximando-se timidamente, chegou ao balcão onde ela estava. Quando o viu, ela deu-lhe um sorriso e perguntou se podia ajudá-lo em alguma coisa. Era o sorriso mais lindo que ele já havia visto, e a emoção foi tão forte que ele mal conseguiu dizer que queria comprar um CD.
Pegou o primeiro que encontrou, sem nem olhar de quem era e disse:
-Esse aquí…
-Quer que embrulhe para presente? – perguntou a garota, sorrindo ainda mais…
Ele balançou a cabeça para dizer que sim e disse:
-É para mim mesmo mas eu gostaria que você embrulhasse. Ela saiu do balcão e voltou, pouco depois, com o CD muito bem embalado. Ele pegou o pacote e saiu, louco de vontade de ficar por alí, admirando aquela figura divina.
Daquele dia em diante, todos as tardes voltava à loja de discos e comprava um CD qualquer. Todas as vezes a garota deixava o balcão e voltava com um embrulho cada vez mais bem feito, que ele guardava no closet, sem sequer abrir.
Ele estava apaixonado, mas tinha medo da reação dela, e assim, por mais que ela sempre o recebesse com um sorriso doce, não tinha coragem para convidá-la para sair e conversar.
Comentou sobre isso com sua mãe e ela o incentivou, muito, a chamá-la para sair. Um dia, ele se encheu de coragem e foi para a loja. Como todos os dias comprou outro CD e, como sempre, ela foi embrulhá-lo. Quando ela não estava vendo, escondeu um papel com seu nome e telefone no balcão e saiu da loja correndo.
No dia seguinte o telefone tocou e a mãe do jovem atendeu. Era a garota perguntando por ele. A mãe, desconsolada, nem perguntou quem era, começou a soluçar e disse:
-Então, você não sabe? Faleceu essa manhã.
Mais tarde, a mãe entrou no quarto do filho, para olhar suas roupas e ficou muito surpresa com a quantidade de CDs, todos embrulhados. Ficou curiosa e decidiu abrir um deles. Ao fazê-lo, viu cair um pequeno pedaço de papel, onde estava escrito:
Você é muito simpático, não quer me convidar para sair? Eu adoraria.
Emocionada, a mãe abriu outro CD e dele também caiu um papel que dizia o mesmo, e assim todos quantos ela abriu traziam uma mensagem de carinho e a esperança de conhecer aquele rapaz.
Assim é a vida: não espere demais para dizer a alguém especial aquilo que você sente.
Diga-o já; amanhã pode ser muito tarde.
Aproveite e fale, escreva, telefone e diga o que ainda não foi dito.
Não deixe para amanhã. Quem sabe não dê mais tempo…
Autor desconhecido