quarta-feira, 1 de outubro de 2014


Já viu a lista dos cinco clipes mais caros da história? Só dá rei e rainha…

A revista Forbes divulgou uma lista com os clipes mais caros da história e a realeza do pop é dona das cinco primeiras posições. Madonna e Michael Jackson ocupam sozinhos – e com folga, o topo da lista que ainda conta com Britney Spears, Busta Rhymes, MC Hammer e Gun N’ Roses.
“Enquanto outros artistas costumam usar clipes como uma forma de vender mais cópias de uma determinada canção ou álbum, os dois transformaram esse conceito em forma de arte, tentando se superar a cada novo projeto”, diz um trecho da reportagem que destaca a importância de Michael e Madonna para a indústria audiovisual.
O TOP 5 ficou assim:
1) Scream – Michael Jackson (feat. Janet Jackson) – 1995
Custou: US$10.7 milhões (na época US$7 milhões).
Parece que ninguém vai conseguir bater os irmãos que sempre figuraram no topo desse tipo de lista. Dirigido por Mark Romanek, o clipe teve 64 milhões de espectadores na sua estreia na TV.
Michael e Janet estão numa espaçonave num clipe preto & branco desafiando a gravidade e DANÇANDO JUNTOS PELA PRIMEIRA VEZ!!! Michael gravou “Scream” em dezembro de 1994 numa época em que os tablóides o acusavam de abuso sexual de crianças. No final do clipe, ele aparece abraçado com a irmã, ainda nervoso e com cara de bravo enquanto Janet parece o acalmar.
2) Express Yourself – Madonna – 1989
Custou: US$9.4 milhões (na época US$5 milhões).
Uma das músicas mais poderosas da rainha do pop teve o segundo clipe mais caro da história. Os cenários e figurinos são referências até hoje.
Madonna estava em sua fase mais criativa ao brincar com o poder das mulheres e com o feminismo num clipe que faz homenagem ao clássico de 1920 de Fritz Lang, “Metropolis” (referência que Lady Gaga também usou em “Applause” misturada com centenas de outras referências jogadas ao léu).
O clipe é dirigido pelo hoje poderoso cineasta David Fincher, que mais tarde viria a fazer“Vogue” e “Bad Girl” também. Sexo, nudez, submissão, homens sarados trabalhando para ela, aos pés dela, o figurino icônico, a metáfora com o gatinho… Histórico!
3) Die Another Day – Madonna – 2002
Custo: US$7.9 milhões (na época US$6.1 milhões).
Enquanto a música recebeu críticas mistas ao ser lançada para um dos filmes de “007″, o clipe foi o vídeo mais visto em 2002 e 2003. A Billboard já elegeu a canção como a sexta maior da franquia.
Na nossa opinião, é uma das piores gravações da Madonna. Mas o clipe chega a ser melhor que o filme estrelado por Pierce Brosnan e Halle Berry. Aliás, Madonna fez porque fez até conseguir uma cena para ela no filme. E conseguiu. No longa do James Bond, ela aparece como a professora de esgrima lésbica do 007.
4) Bedtime Story – Madonna – 1995
Custou: US$7.7 milhões (na época US$5 milhões).
Dirigido por Mark Romanek, o vídeo foi lançado em diversas salas de cinema em Nova York, Chicago e Santa Monica. Hoje, ele é exibido no Museu de Arte Moderna em Nova York.
É maravilha visual cheia de efeitos especiais numa das fases mais legais da carreira da Madonna, que também rendeu uma apresentação memorável no Brit Awards em 1995.
5) Black or White – Michael Jackson – 1991
Custo: US$6.9 milhões (na época US$4 milhões).
O incrível vídeo de Michael em resposta à diversas acusações, estreou simultaneamente em diversos canais do mundo todo. O público foi de 500 mil pessoas.
No Brasil, o Fantástico era quem exibia com exclusividade e, naquela época, o programa dava mesmo atenção para videoclipe. Era a época da MTV e todo mundo começou a olhar para clipe com muita atenção. A expectativa para ver o clipe do Michael Jackson era gigante. As chamadas na TV para a exibição do clipe não parava.
A Globo, assim como o mundo, fez um suspense gigante e o clipe deixou todo mundo de boca aberta. E teve que ser cortado por causa de uma parte polêmica em que Michael saía quebrando e vandalizando as ruas. Veja o trecho censurado aqui.

A gente adorou a lista, mas…

work-bitch
Ela tá certa e atual mesmo? Não ficou faltando “Work Bitch” da Britney? Não foi um custo gigantesco e milionário também pra fazer esse clipe da princesa do pop? Não tinha que estar em segundo ou terceiro lugar? Na lista da Forbes, o clipe aparece em sexto lugar e em listas como a do Business Insider a Britney aparece em segundo lugar. E agora, humanidade?
Outro detalhe que esqueceram de comentar: naquela época não existia crise na indústria da música por causa da internet, as gravadoras davam dinheiro para fazer clipes, vendia-se milhões de álbuns e o clipe era uma ferramenta de divulgação gigante do single do artista também por causa da MTV, que hoje também deixou de fazer sentido por causa da internet.
videoclipes
Hoje, por exemplo, se não fossem as marcas (perfumes, fones de ouvido, celulares) patrocinando os clipes, eles não existiriam. Agradeçam Dr. Dre porque se não fosse pelo Beats dele a gente não teria clipes mais hoje em dia. Hahahaha!
Então essa lista deve permanecer assim por muito tempo. Assim como a lista dos álbuns mais vendidos de todos os tempos deve continuar intacta com “Thriller” de MJ no topo.
De qualquer forma, vale dizer também que ninguém faz clipe como Madonna e Michael Jackson faziam na época. E não era só o dinheiro que garantia isso. Era o talento mesmo. Veja “Justify My Love”, “Vogue” da rainha do pop, que não custaram nada absurdo.
Tentei usar o mesmo exemplo pra citar clipes do MJ e não consegui. Bjs