sábado, 8 de novembro de 2014


Entrevista com Dulce María
Ela falou sobre a carreira solo e sua passagem pelo RBD. Confira:
Esse novo trabalho é solo, mas é diferente do RBD?
Esses dois álbuns serão uma experiência inesquecível, pelo menos pra mim. Esse trabalho é diferente de quando eu estava no RBD, porque trago os meus sentimentos, a minha personalidade… É outro estilo, digo o que sinto e o que vivi… Escrevo coisas que me espantam, do que não entendo, do quero, do que me dói… Busco uma ideia e escrevo sobre isso. Antes era a história de um personagem, mas, hoje é a minha história, as minhas letras. E esse projeto é bem diferente do RBD: é pop, mas, agora sou eu que escrevo muitas das canções. É um pouco mais melancólico… Neste momento da minha vida, me sinto assim emocionalmente. Como agora, meu coração não tem um país próprio, um pouco como os ciganos que não pertencem a lugar nenhum. Sinto-me assim, apesar de ter orgulho de ser mexicana. Todo mundo me deu muito apoio para esse trabalho… Também gravei duas músicas em português, 
Estrangeira e Ingênua, mas, ainda não sei como elas vão sair, se em uma edição especial ou digitalmente.
O que os fãs brasileiros podem esperar desse CD? 
Agora estou contando minha história pessoal com outro tipo de música. E como parte da minha vida que vou compartilhar com vocês, esta é a diferença de quando estava com o RBD. Gostaria que outras pessoas além dos fãs do RBD escutassem minha música, quero muito realizar este sonho de me consolidar como cantora solo. Os fãs brasileiros são muito queridos… Eles me amam e eu também! Sempre que venho ao Brasil é muito bom, todos são muito carinhosos!
Dulce María
O que os fãs podem esperar na hora do show?
Quero tocar nos corações com as minhas músicas e as vivências que vamos ter juntos para podermos guardar recordações. Estou feliz em estar no Brasil.
Quais são os momentos de inspiração para suas músicas?
Escrevo onde estiver, no avião, no meu quarto… Escrevo o que sinto, o que vivo e o que quero. Mas, ainda falta muita coisa pra fazer… Ainda quero aprender a tocar instrumentos e fazer parcerias com outros artistas. Tenho muito sonhos para realizar e esse apenas é um deles.
O que você acha dos fãs que fazem de tudo por seu ídolo?
Eu não compreendo essa história… Não entendo o choro, ou as tatuagens. Tudo isso me impressiona muito, todo esse carinho. Agradeço aos fãs.
Diferente do RBD você fará um show menor, com uma produção menor…
Faz três anos que o RBD terminou e muitos desses fãs estão comigo, e gostam da minha música. Esse é um desafio, porque essa é a minha história, meu personagem… Os shows que fazíamos com o RBD eram massivos, feitos em grandes estádios. Era impossível ver o rosto das pessoas. Quero mais proximidade! Quis esperar para voltar com um concerto, para ter algo a oferecer para quem me apoia incondicionalmente.
Tem algum artista brasileiro que você ouve? 
Eu gosto da Ivete Sangalo porque eu a acho uma artista completa. Também estou encantada com o funk brasileiro… É muito divertido! Na primeira vez que ouvi já fiquei apaixonada. Já pedi nomes de várias bandas brasileiras para que eu possa ouvir. Quero fazer uma colaboração, mas preciso conhecer a música daqui antes. Entre meus ídolos também está a Shakira.
Você é compositora, cantora e atriz. Tem outras coisas que você gostaria de conquistar?
Quero aprender a tocar um instrumento, escrever letras para outros artistas… Estou apenas começando.
Dulce María
De todas essas suas habilidades, qual você mais gosta? Tem alguma que é mais difícil?
Não sei dizer qual é mais difícil, mas, cantar e escrever é o que eu mais gosto de fazer.
O que você está achando do Brasil?
Estou muito feliz por estar aqui. Nunca imaginei chegar, por exemplo, ao Brasil, onde as pessoas não falam o meu idioma. Mesmo tendo sonhado com isso, era difícil de acreditar que poderia acontecer de fato… E adoraria voltar logo ao Brasil! Espero poder voltar antes do fim do ano e seguir voltando muitas vezes. Sempre que venho ao Brasil é a trabalho, mas eu gosto da comida e já tomei guaraná e suco de maracujá.  Além disso, eu também gosto de estar perto das pessoas e dos fãs… É muito carinho isso me impressiona o tamanho da paixão, só posso agradecer!
É verdade que você expulsou seu pai de sua festa de quinze anos de idade?
(risos) É verdade…
Você é uma pessoa que está com roupas diferentes, bonitas, você procura ficar sempre na moda?
Mais ou menos… Não gosto de seguir regras da moda e nem nada… Mas, eu gosto das coisas que me fazem me sentir bem.
Dulce María
Qual o pior defeito que você acha que tem?
Eu sou muito desesperada… (risos)… Não tenho paciência, sou um pouco ciumenta também. (risos) Mas, só um pouquinho… Eu também sou muito sonhadora, e isso pode ser ruim, porque idealizo muito os meus sonhos.
Em Mulheres Assassinas você beijou uma mulher, como foi essa experiência?
Foi um capítulo bastante forte, uma história real… É um trabalho um pouco diferente do que as pessoas que estão acostumadas a me ver em telenovelas. Os produtos pediram pra fazer algo diferente, e eu aceitei. Foi algo muito importante na minha vida, e hoje faz parte da minha carreira.