domingo, 28 de dezembro de 2014


Retrospectiva 2014:
Os melhores álbuns do ano
Ghost Stories (Foto: Reprodução)
Ghost Stories foi lançado por volta da mesma época em que o casamento do vocalista do Coldplay, Chris Martin, separou-se de Gwyneth Paltrow, e suas composições dão uma espécie de insight sobre os problemas que o britânico estaria vivenciando em seu relacionamento. Em algumas canções, como MagicMartindeclara-se a fim de reviver bons momentos de algo que não funciona mais. E o álbum é assim: cheio de melancolia e mistérios, que causa empatia em qualquer um que já teve o coração partido.
Pontos altos: Magic e A Sky Full Of Stars.

Girl (Foto: Reprodução)
Pharell Williams pode ser considerado um dos melhores produtores da atualidade, mas quando se trata de sua própria música, o sucesso não vinha em mesma escala. O cenário mudou com o lançamento de G I R L, seu segundo álbum de estúdio, que contém a inesquecível e indicada ao Grammy Happy - um dos maiores hits do ano. Com composições focadas em, obviamente, mulheres, Pharrell contou a Billboard que a ideia foi celebrar a mulher ao invés de tratá-la como objeto. Deu certo! O disco e recheado de melodias dançantes e cheias de personalidade, coisa que ele faz muito bem. 
Pontos altos: Brand New Happy.

Xscape (Foto: Reprodução)
Xcape, o segundo álbum póstumo de Michael Jackson, é surpreendentemente um dos melhores discos do ano. Surpreendente porque mexe com o conceito original que o cantor tinha para cada canção escolhida, mas sem perder o toque e bom gosto, tornando letras e melodias dos anos 80/90 em algo contemporâneo e apreciável. Afinal, estamos falando de Michael Jackson. Nada além do que ele considerava extraordinário era aceitável e produtores como Darkchild e Stargate conseguiram capturar a essência do rei do pop sem a presença dele. Pontos altos: Chicago e Slave To The Rhythm.
X (Foto: Reprodução)
Ed Sheeran nao é um cantor convencional e, para a época atual, não tem uma música convencional, mas, mesmo assim, conseguiu seu espaço e abriu o caminho para cantores do mesmo estilo, que se sustentam em voz, violão e muito talento. Não é para menos que o britânico e um dos compositores mais requisitados, por conseguir capturar cenários do dia a dia e aplicar, sofisticadamente, em suas canções. X, seu segundo disco, captura isso seja em melancolia ou alegria! Tem musicas para todos os gostos, o que o torna um dos artistas mais sólidos da atualidade. 
Pontos altos: SingThinking Out Loud e Don`t.

Furler já é uma veterana, mas comecou a se destacar no mainstream depois de ser muito requisitada como compositora - que lhe rendeu sucessos como Diamonds, de Rihanna, e Titanium de David Guetta. Estava na hora de usar sua habilidade de fazer hits para si própria e foi o que ela fez ao lançar 1000 Forms Of Fear, seu sexto disco - ISSO MESMO. E deu certo. O disco reúne os melhores trabalhos da cantora com seus colaboradores de longa data como DiploGreg Kurstin e Chris Braide. Muito embora canções pop possam parecer minimamente pensadas, Sia vem em contrapartida para deixar tudo mais relaxado - no melhor sentido da palavra. O resultado é um disco cheio de emoção e profundidade, que deve deixá-la nos holofotes ai

SIA (Foto: Reprodução)