quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Os 6 piores experimento humanos
Sabemos que os avanços científicos são importantes para muitos problemas e ajudam encontrando soluções para muitas doenças que ameaçam a integridade humana , e também buscam melhoras tecnológicas. Mas, existe um segundo lado de tudo isso que nunca paramos para refletir.
Isso porque, A ciência é usada para nosso beneficio, mas também pode e já foi, usada para o mal. Alguns exemplos são os experimentos médicos que listamos abaixo, e que vai te deixar com a respiração suspensa. Acompanhe:

O experimento da sífilis na Guatemala3

No ano de 1946 e 1948 Guatemala e Estados Unidos realizaram estudos onde contaminavam prisioneiros e pacientes intencionalmente com doenças mentais. A maioria deles eram obrigado a manter relações com pessoas contagiadas ou tinham suas peles cortadas onde era inserido as bactérias. No tratamento os doentes recebiam penicilina como teste.

Estudos monstruosos 4

Para provar que a gagueira era um comportamento apreendido, a Universidade de Lowa não pensou duas vezes para introduzir crianças órfãs fazendo elas acreditarem que sofriam com a gagueira. O estudo ganhou o nome de: “Estudo monstro”. A experiencia não aliciou ninguém a ficar gago. A universidade acabou sendo processada em R$ 1.558,240.

Experimentos Nazistas

5Experimentos nazistas são comuns, e já foram adaptadas várias experiencias com a ajuda do governo em teste de congelamentos, aquecimentos, fome, pressão e outras torturas imagináveis no qual muitos foram sujeitos a passar.

Experimentos Japoneses6

Médicos e cientistas japoneses investiram em alguns estudos chocantes em civis entre as décadas de 30 e 40. E os principais alvos eram os Chineses. O número de mortes pode chegar até à 200.000. Muitas atrocidades contra pessoas foram realizados, como: Queimaduras com gelo, testes com gases altamente venenosos, transmissão da doença cólera, febre tifóide e dissecamento de gente vivas foram poucas das atrocidades descobertas, imagine o resto!

Estudo Tuskegee7

Entre 1932 à 1972 o serviço de Saúde pública dos EUA executou uma pesquisa, no qual o projeto escrito nunca foi encontrado, ele envolveu aproximadamente 600 homens negros, 399 portadores de sífilis e 201 saudáveis, no estado do Alabama. Qual seria o objetivo do estudo? Observar o andamento da doença, livre de qualquer tratamento.

Estudos em escravos 8

J. Marion Sims, conhecido como o mestre da ginecologia, usava escravas para testar sua experiencias cirúrgicas. Ele cuidava de fístula vesico-vaginal, utilizando procedimentos dolorosos e sem anestesia.