terça-feira, 3 de novembro de 2015


10 histórias bizarras por trás dos filmes da Disney
São poucos os casos em que os filmes realmente se parecem com os contos nos quais foram inspirados
Você já deve saber que todos os filmes da Disney foram inspirados em contos antigos. Mas é só inspiração mesmo, viu: daquelas bem de leve. Isso porque o estúdio não se importa nem um pouco em mudar ou ocultar elementos das histórias originais. Sorte a nossa, afinal, não seria nem um pouco legal se a Tiana jogasse o sapo na parede para livrá-lo da maldição ou se o Fynn, ao invés de viver feliz pra sempre ao lado da Rapunzel, acabasse cego e sem ninguém.
Não entendeu nada? Calma! Vem cá que a gente te explica todas essas bizarrices.

1. Branca de Neve

No filme, a história acaba com o Príncipe Encantado beijando a Branca de Neve e os dois vivem felizes para sempre. Além disso, a Rainha Má morre ao cair de um precipício. Tudo certo, né? Mas no conto dos Irmãos Grimm, o final da vilã é diferente: ela é convidada para o casamento do casal protagonista, mas quando chega lá, é obrigada a calçar botas de ferro quente e dançar até morrer. Bem mais pesado, né?

2. A Princesa e o Sapo

Segundo a Disney, Tiana beija o sapo que diz ser um príncipe na tentativa de ajudá-lo a voltar a ser humano, mas acaba virando uma rã. Só que como o amor dos dois é verdadeiro, no final eles se beijam e voltam à forma humana juntinhos. Own! <3 Já originalmente, Tiana resolve a situação de uma maneira bem mais fácil: ela arremessa o sapo na parede, ele se revela um lindo príncipe. Pra que amor, né mores? ahahaha

3. A Pequena Sereia

Aqui, mais uma vez, a Disney nos poupou de um sofrimento desnecessário mudando duas coisas básicas em relação à história original. No acordo de Úrsula e Ariel, a sereia morreria caso Eric não se apaixonasse por ela (ao invés de apenas voltar a ser sereia). Além disso, andar sobre as pernas "dadas" pela bruxa era tão doloroso quanto andar sobre um monte de facas afiadas. Isso tudo sem contar que Ariel tinha 15 anos. Sério: ainda bem que mudaram, né?

4. Cinderela

Se no filme as filhas da madrasta acabam apenas com raiva e morrendo de inveja da princesa, no conto original dos irmãos Grimm (eles de novo!) elas terminam literalmente "se cortando de inveja": enquanto uma corta os dedos do pé na tentativa de encaixar o pé no sapatinho de cristal, a outra corta o próprio calcanhar. E tem mais: no casamento da Cinderela com o Príncipe, várias pombas chegam voando do céu e arrancam os olhos da irmãs. Que horror!

5. A Bela Adormecida

Desta vez, os irmãos Grimm foram bonzinhos e são responsáveis pela história que conhecemos: o Príncipe acorda a Bela Adormecida com um beijo e são felizes para sempre. Mas na versão do escritor francês Charles Perrault a história não acaba aí. Bela Adormecida e o Príncipe se casam secretamente e têm dois filhos (Dia e Aurora), que a mãe dele tenta matar. Só que ela não consegue e acaba caindo no poço de serpentes onde ela mesma tinha ordenado que jogassem os bebês. 

6. Mulan

Dá até um alívio quando a princesa mais guerreira da Disney volta pra casa e vive feliz para sempre com sua família. Mas na história que inspirou o filme, Mulan encontra sua família destruída ao voltar da guerra. Sua única opção para sobreviver é se tornar prostituta, mas ela não aceita isso e acaba se matando. Acho que vamos ficar com o final feliz mesmo, viu...

7. Mogli

Ele é o menino criado por lobos que, contra sua vontade, vai morar numa aldeia de humanos e acaba gostando da ideia quando se apaixona por uma humana. Seria uma pena se o garoto não vivesse feliz para sempre, né? Mas é exatamente isso que acontece: no conto escrito por Rudyard Kipling, o final é muito mais realista e Mogli não consegue conviver com os humanos - muito menos se apaixonar por uma humana. Afinal, ele foi criado com lobos, ué.

8. Pocahontas

Este é o único filme da Disney baseado em fatos reais (estamos falando da colonização do que hoje é os EUA pelos ingleses), mas também é o que mais sofreu alterações, afinal, a Disney manteve apenas os nomes, as etnias e as referências geográficas. Na real, quando Capitão John Smith voltou à Inglaterra, a princesa acabou se casando com o outro John, o Rolfe, com quem teve um filho e viajou à Terra da Rainha, chegando lá como um exemplo de nativa americana "civilizada". Anos depois, ela acabou morrendo de "causas desconhecidas".

9. O Corcunda de Notre Dame

Ok, no final do filme o Quasimodo acaba sem a Esmeralda, mas conquista o que sempre quis: reconhecimento e liberdade. Só que o final original escrito por autor francês Victor Hugo é bem mais trágico: enquanto o Corcunda tenta proteger a princesa dentro da igreja, Frollo o atrapalha e os dois acabam assistindo juntos à execução dela. Revoltado, Quasimodo atira Frollo do alto da torre e some do mapa. Tempos depois, o jazigo de Esmeralda é aberto e sua ossada é encontrada ao lado de outra, que tem uma deformação na coluna. ¯\_(ツ)_/¯

10. Frozen

A história de Elsa e Anna foi baseada no conto A Rainha da Neve, que não fala sobre duas irmãs, mas sim sobre Gerda e Kai, dois amigos de infância. Um dia, Kai é sequestrado pela tal Rainha da Neve e Gerda vai atrás dele - tipo a Anna indo atrás da Elsa. No caminho, ela é ajudada por vários seres mágicos (que seria o Olaf, por exemplo), acaba encontrando Kai no castelo da rainha e o beija - o que derrete o gelo do seu coração. Pelo menos desta vez, assim como na história original, os dois viveram felizes para sempre e sem serem incomodados pelo frio!