sábado, 19 de novembro de 2016

As 10 maiores mentiras da NASA

A NASA sempre nos brindou com grande riqueza de informações sobre o universo em geral, mas, exatamente, quanto disso é verdade e quanto é falso? Ao longo dos anos tem se averiguado a veracidade sobre todos os casos que apareceram na internet envolvendo a NASA, no que tange às questões de descoberta de OVNIs e outros fatos interessantes, e, por fim, acabaram sendo coisas completamente diferentes. Isso é o que queremos relatar ao longo deste artigo, as que são consideradas as 10 maiores mentiras da NASA. Se você se interessa por esse tipo de artigos... Continue lendo!

10. A NASA realiza missões de caráter pacífico no espaço

Como é sabido por muitos, em 29 de julho de 1958 era criada a NASA, uma agência espacial que visava criar, gerir e comandar várias missões de natureza pacífica no espaço, bem como apoiar diversas missões de caráter informativo. Tudo isso, ao longo dos anos, provou ser mentira: sua intenção original era para dominar o espaço e ganhar a corrida espacial batendo os russos, tendo, provavelmente e também, a intenção de observá-los do espaço, como demonstrou-se mais tarde. Além disso, a NASA não necessariamente executou só missões de natureza pacífica, já que estrearam várias armas cinéticas na Lua, como a conhecida Centauro, pertencente à missão LCROSS, que estudava o céu do polo sul lunar. Eles afirmaram estar procurando gelo no polo sul lunar, mas muitos pesquisadores não estão muito seguros disso.

9. Anúncio do mínimo solar em 2006

Em março de 2006, a NASA anunciou que um mínimo solar havia chegado. Não havia manchas nem erupções solares e o risco de tempestade solar era mínimo. Também via-se perfeitamente, ou nos deram a entender, que o sol estava completamente calmo. Após três meses, ocorreu uma das maiores tempestades solares do século. Por que mentiram sobre esta tempestade solar? Será que pensavam que seria devastadora? Lembre-se que, em 2012, uma tempestade solar devastadora passou muito próxima à Terra. A NASA só informou isso em 2014.

8. A temperatura global aumenta de forma alarmante

Recentemente, circulou nos meios de comunicação um artigo afirmando que foi demonstrado que a NASA estava inflando os números referentes à questão do aquecimento global. Quando se olha os dados originais e os compara com as revisões da NASA, pode-se observar que, desde 1940, o planeta esteve esfriando, e não se aquecendo. Um estudo realizado por Carl Friedrich, professor alemão e geólogo, afirma que a NASA tem realmente inflado todos os dados, e seu estudo baseou-se na verificação de gráficos nos quais comprovou-se que a NASA havia alterado os resultados à medida que lhe convinha.

7. A reentrada de naves espaciais na atmosfera é muito perigosa

Uma das mentiras mais comuns, também retratada em Apollo 13. Não é culpa da atmosfera. A culpa é do orçamento da NASA, que não usa motores para compensar a força gravitacional na direção oposta, pois é muito mais barato ter um escudo térmico na nave do que colocar motores para fazer uma reentrada adequada. Isso é feito, mesmo colocando em risco a vida dos astronautas.

6. Os OVNIs do Projeto Mercury eram cristais de gelo na janela

Em 24 de maio de 1962, um intrépido astronauta chamado Scott Carpenter foi colocado em órbita, a bordo de uma cápsula que era parte do Projeto Mercury. Quando ela começou a orbitar a Terra, a cerca de 275 km de altitude, Carpenter começou a ver algo estranho, assustando-se. Ele viu esferas metálicas cilíndricas que se deslocavam através do espaço muito rapidamente. Carpenter, em um comunicado, ainda disse: "Eles existem. São eles". A NASA controlava a missão e cortou a comunicação. Mais tarde, a NASA disse à imprensa que eram cristais de gelo acumulados na cápsula. Carpenter ficou muito surpreso com estas declarações da NASA, pois sabia muito bem que eles estavam mentindo. John Glenn, outro astronauta do Projeto Mercury, defendeu Carpenter, dizendo que, na verdade, eles também haviam visto coisas estranhas. O mesmo ocorreu com outros membros do projeto. Com relação a Walter Schirra, ele foi o primeiro homem a usar palavras-código para se comunicar com Houston acerca de OVNIs ou outros artefatos que orbitavam a Terra. O que será que Carpenter realmente viu?

5. Os OVNIs do Programa Gemini eram satélites

Três anos após o Projeto Mercury, em 04 de junho de 1965, astronautas a bordo da cápsula Gemini 4, filmaram um objeto estranho, de forma ovalada, no espaço. As gravações acabaram chegando aos meios de comunicação e disseram tratar-se do satélite Pegasus 2, que estava a menos de 15 km da cápsula. Informações posteriores sobre este satélite revelaram o engodo, porque, naquela época, o satélite Pegasus 2 estava localizado a cerca de 2.000 km de distância, e dificilmente poderia tratar-se de outro, já que nos anos 60 quase não havia satélites orbitando a Terra.

4. Marte é vermelho

É bem conhecida a mania da NASA de colocar Marte de cor vermelha, fazendo com que ele pareça ter um aspecto mais hostil. As fotos de Marte da NASA, em muitas ocasiões, mostravam o planeta de cor vermelha com o céu marrom ou vermelho, quando se sabia que Marte era azul. Quando a NASA já não pôde seguir com essa mentira, eles passaram a mostrar a verdadeira cor de Marte. A verdade é que ele é conhecido como o Planeta Vermelho por causa da aparência avermelhada propiciada pelo o óxido de ferro que domina sua superfície.

3. A Lua é cinza e branca

Tal como aconteceu com Marte, o mesmo também ocorreu com a Lua. Na verdade, a cor branca que vemos da Terra, é o reflexo do Sol sobre a Lua. Na verdade, a NASA foi "muitas" vezes à Lua, e até mesmo tirou fotos coloridas, mostrando-a cinza e branco. Porém, depois, foram reveladas outras fotografias que mostravam a verdadeira cor da Lua, muito similar a de alguns lugares da Terra, e até mesmo semelhante a Marte.

2. A NASA desclassificou todas as imagens do programa Apollo

Existem mais de 200.000 fotografias do programa Apollo. A NASA sempre foi categórica a esse respeito, porém estavam mentindo, já que mais de 9.000 imagens foram ocultadas ao longo dos anos. Graças a alguns astronautas e meios de comunicação, a NASA foi cedendo e desistindo de seu empenho em classificar quase tudo. Atualmente, ainda continuam ocultando numerosos bancos de imagem, entre eles os relacionados com a missão Apollo 16. O que não se compreende é o porquê da NASA levar mais de 40 anos para a desclassificação das imagens. Será que o fato de serem tantas e eles as terem que revisar minuciosamente é a razão de levarem tantos e tantos anos até que eles as mostrem?

1. Os astronautas eram pessoas maravilhosas, com famílias exemplares

Em 1958, pouco após a criação da NASA, havia objetivo de competição direta com os russos, que estavam em grande vantagem. Em função disso, a NASA queria que tudo fosse perfeito, incluindo os astronautas e suas famílias. Na verdade, os astronautas eram tratados como deuses, eram adorados e suas esposas eram mulheres de extrema sorte. Na verdade, tudo isso era falso. Muitos astronautas eram alcoólatras, traíam suas esposas e havia histórias de brigas, depressão e consequentes divórcios. Tudo isso é contado em “Astronaut Wives Club”ou “Clube das Esposas de Astronautas”, um livro escrito por Lily Koppel, que, quase meio século mais tarde, deu voz a essas mulheres. Indica-se inclusive que a NASA fornecia anfetaminas às esposas para que elas se mantivessem desejáveis.
Achou interessante? Então compartilhe este artigo com todos!