sábado, 19 de novembro de 2016

Nos enganaram: a Terra NÃO é REDONDA

Nossa formação primária, e às vezes também a secundária, está cheia de erros e mitos. São várias as mentiras que, ingenuamente, povoaram nossa educação. Baseados em livros e inúmeras fontes que conhecemos durante nosso processo de aprendizagem, transformamos nossa percepção acerca do mundo que nos rodeia. Um dos relatos mais cheios de mentiras, curiosamente, tem a ver com um personagem muito famoso: o chamado descobridor da América, Cristóvão Colombo.
Segundo informam os livros de história, o navegador italiano procurava uma rota interna que lhe guiasse para as Índias. Devido a um erro de cálculo, no entanto, Colombo acabou chegando às costas de um novo continente, em 12 de outubro de 1492. Ao "Novo Mundo" chamaram de "As Índias Ocidentais". Já conhecemos as crenças populares daquela época que supunham que a Terra era completamente plana.
Essas crenças vinham de antigos mitos que, por sua vez, supunham que a Terra fosse como um disco redondo e plano, que flutuava sobre as águas do oceano. Na verdade, os primeiros mapas gregos foram baseados nestas teorias. Nos tempos de Colombo, muitas pessoas ignorantes ainda pensavam que, navegando em direção ao horizonte se alcançaria a borda do mundo, e se terminaria caindo em um precipício. No entanto, tanto estudiosos quanto governantes daquela época, sabiam que nada disso era verdade.
A forma esférica da Terra foi determinada por uma série de filósofos e intelectuais (tais como Pitágoras, Aristóteles, Claudio Ptolomeu, Copérnico e Galileu Galilei), muito antes de Colombo pôr os pés no solo do continente americano. Na verdade, diz-se que os primeiros a chegarem ali haviam sido os siberianos do Pleistoceno, seguidos pelos Vikings. Curiosamente, o mito da Terra plana foi novamente popularizado por volta dos séculos XIX e XX, graças a um romance de Washington Irving entitulado "Vida e viagens de Cristóvão Colombo".
O desenvolvimento da tecnologia e as concepções cada vez melhores dos sábios dos nossos tempos, conseguimos nos alçar para fora da atmosfera e levar o ser humano para o espaço, para a Lua e até para outros planetas. Descobrimos galáxias, aprendemos cada vez mais sobre o cosmos, mas... nem com tanto cuidado e progresso conseguimos demonstrar, em 100%, o formato verdadeira do nosso lar terrestre. Pelo menos, não até agora.
Na atualidade de há pouco, todos já sabíamos que nosso planeta não era um disco plano, nem tampouco se parecia com uma bola perfeitamente redonda, mas que teria uma forma bastante irregular (especialmente levando-se em conta o aspecto do Equador e dos polos). Há pouco tempo, no entanto, a Agência Espacial Europeia publicou uma imagem que parece demonstrar algo que vai além do já estávamos cientes. Acontece que, se olhamos bem, o nosso planeta poderia ser comparado a... uma batata!
Embora os próprios cientistas não se sintam muito confortáveis ao utilizar esta comparação, a Terra é realmente parecida com uma batata. Ultimamente, foram capazes de gerar uma visualização do formato real do nosso planeta, que também representa as inclinações de força e gravidade que o influenciam. A ilustração surgiu graças a pesquisas feitas por um satélite geocosmico da ESA, chamado GOCE. A animação que você está prestes a ver é uma representação fiel de tais evidências.
Portanto, podemos, agora, dizer em alto e bom tom que, embora ao proclamar que o nosso planeta seja plano como uma mesa seja uma falácia, também o é acreditarmos que ela seja uma esfera redonda como qualquer bola azul. Como as pesquisas do satélite levaram 4 anos para serem concluídas, não há dúvidas, no momento, que, finalmente, temos uma imagem completamente verídica da Terra, e, finalmente, está solucionada a questão sobre seu real formato. 
O que você acha dessas descobertas? Se você gostou de nosso artigo, não se esqueça de compartilhá-lo com seus amigos!
Fonte: Starstock / Youtube